Facebook
arte-clima-guanhaes

Vacinação contra a gripe chega na reta final!

Em Guanhães, como em todo o Brasil, milhares de pessoas foram imunizadas desde do dia 30 de abril em mais uma etapa de vacinação contra as gripes, entre elas a H1N1. Segundo Neusa Aparecida Mendes Pereira, Coordenadora da VigilânciaEpidemiológica de Guanhães, devido ao sistema de distribuição adotado pela Gerencia Regional de Saúde de Itabira (GRS-Itabira), a vacinação começou no município no sábado, 30 de abril e segue até o dia 20 de maio em todas as unidades de saúde do município. A remessa da vacina feita pela GRS não foi suficiente para atender a grande procura nas unidades e por isso, faltou vacina por três dias.

“No entanto, como a vacina foi distribuída em remessas, a vacinação voltou a sua normalidade na semana seguinte. A vacina vem destinada aos grupos prioritários e de comorbidades em doses já pré-estabelecidas, assim nesta próxima remessa, em 16 de maio, mais 700 doses serão distribuídas entre os grupos prioritários. Não temos previsão concreta de receber doses a mais até o final da campanha” esclareceu a coordenadora.

Nesta fase de imunização são considerados grupos prioritários:

Crianças entre seis meses e menores de cinco anos (até quatro anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas até 45 dias após o parto, trabalhadores de saúde, idosos a partir de 60 anos, povos indígenas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional; adolescentes e jovens entre 12 e 21 anos sob medida socioeducativas, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras.

De acordo com a coordenadora, a  expectativa da campanha é atingir, no mínimo, 80% do público total estimado em 7.540 pessoas, garantindo a prevenção contra três vírus da influenza: A H1N1, A H3N2 e B.

Veja os gráficos

Crianças de 6 meses a 2 anos

Crianças de 2 anos a 4 anos

Trabalhadores da saúde

Gestantes

Puérpuras

Comorbidades

Pessoas portadoras de mais de um tipo de doença

Idosos

População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Indígenas

708

1239

   430

354

   58

   1066

3.685

   xx

21

Dados da vacinação até o dia 16/05/2016

Totalizando 5042 vacinações do grupo prioritário e 990 de co-morbidades.

Cobertura no município até 16/05/2016:

Crianças: 81,97% - Trabalhadores da saúde: 99,53% - Gestantes: 60,45% Puérpuras: 68,97% - Idosos: 74,55%, indígenas: 100%

A cobertura mínima esperada para cada um destes grupos é de 80%.

Esclarecimento

Segundo Neusa Mendes, desde o hoje dia 12/05, os PSF’s não atendem mais receitas da vacina Influenza, devido a meta de vacinação do grupo de co-morbidades ser de 1066 pessoas, e 990 pessoas já foram imunizadas. Restando 76 doses, que foram destinadas a vacinação das crianças da APAE, acamados e algumas pessoas portadora de doenças crônicas a serem analisadas quanto ao enquadramento na listagem de comorbidades. Caso alguém esteja com receita, procure a vigilância epidemiológica ou sua Unidade de Saúde para deixar seu contato, pois caso até o final da campanha restem algumas doses, ou seja, enviado mais vacinas, estas pessoas terão prioridade.

Até o momento o setor não recebeu toda a vacina, e ainda existem muitas pessoas do grupo prioritário para vacinar, muitos da zona rural, mas já está sendo programada a vacinação destas pessoas.

Neusa Mendes esclareceu ainda que “a imunização é contraindicada para indivíduos com alergia grave ao ovo ou a qualquer outro componente da fórmula ou aqueles que apresentaram história de reação anafilática em dose anterior da vacina. Em caso de doenças agudas febris moderadas ou graves, é recomendado adiar a vacinação até a resolução do quadro”.

A vacinação contra a influenza pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade global. Em residentes em lares de idosos, reduz o risco de pneumonia em cerca de 60%, o risco global de hospitalização em cerca de 50% e o de morte em 68%. Ela ainda pode reduzir em 40% os casos de síndrome gripal.

A vacinação só estará disponível pelo o município para os grupos de risco. Entretanto, a imunização pode ser feita por meio de clínicas particulares. De acordo com Neusa Mendes, a imunização é de suma importância para prevenir a gripe nos grupos vacinados e impedir o agravamento dos casos, além de diminuir as internações hospitalares e gastos com medicamentos.

Clique aqui para ver mais fotos

Neusa

Coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Neusa Mendes