Facebook
arte-clima-guanhaes

História de Guanhães

Em 1818 a área que forma o perímetro desta cidade pertencia aos irmãos Manoel de Oliveira Rosa e Joaquim de Oliveira Rosa. Até aí espessa mata virgem ostentava a sua vegetação, sombreando o solo com a ramagem sempre verdejante de suas copadas arvores, onde se encontravam o soberbo cedro, o ipê, o pau Brasil, a baraúna, etc. e outras madeiras de lei destacando-se no meio desta floresta, no lugar onde hoje se acha o negócio do Sr. Inocente, um rústico cemitério cercado de achas, tendo no centro um alto cruzeiro no qual vem cravada a data 1818. Essa preciosa relíquia acha-se conservada em poder do Vigário local.

Em 1820 começou a ser habitado, devido à exploração da lavra aurífera do Candonga, feita por sociedade de nacionais, pelo sistema antigo e rotineiro, despertando assim a atenção dos habitantes circunvizinhos de modo que para aqui mudaram-se algumas famílias, dentre elas se destacando a do Sr. José Coelho da Rocha, um dos nossos primeiros patriarcas. Com influência de algumas famílias e edificação de casas, formou-se um pequeno povoado, cujos habitantes fizeram a primeira deflorestação e erigiram uma pequena capela, sob a invocação de São Miguel e Almas, fazendo então, os primeiros proprietários doação do terreno ao mesmo santo São Miguel.

Com a continuação do serviço da lavra do Candonga o pequeno povoado foi-se incrementando os moradores, na fertilidade de terras, uma fonte de rendas nas transações comerciais dos cereais que cultivavam e abasteciam o mercado consumidor da sociedade exploradora.

Em 1821, arregimentando o povoado com um certo numero de edificações e de habitantes, onde já se haviam estabelecido alguns negociantes, foi celebrado na pequena capela a primeira missa pelo Padre Firmiano Alves de Oliveira, natural da cidade da Conceição.

Em 1828, um fato de alto destaque em nossa história, deu causa ao desenvolvimento da nascente povoação: foi descoberta a lavra do Mexerico e explorada, também, por uma companhia de nacionais. Tal foi a afluência do povo que, para aquela lavra convergiu, que deu causa a contínuas e encarniçadas lutas entre estes e seus proprietários, terminando-se por uma invasão revolucionária do povo, intrigado e protegido pelo Padre Luiz Pereira, sendo preciso a intervenção da força policial do governo para por termo a tantas demandas e crimes que se perpetuavam ali. Entretanto, arregimentada a população com um desenvolvimento bem crescente de seu comércio, já tendo como capelães, revesadamente os padres José de Amorim Correia e Narciso Alves (Correia) Ferreira, foi em 1832 elevada a Distrito de Paz, ficando pertencente ao município do Serro.

Em 1834 foi a lavra do Candonga vendida por 100:000$000 a uma companhia inglesa, que a explorou até o ano de 1845. Criado o Distrito, e eleito os primeiros Juízes de Paz os senhores José Coelho da Rocha, João Coelho de Magalhães, José Joaquim de Carvalho e Antônio Lourenço (vulgo Fubá) foi pelo Bispo D. Antônio Ferreira Viçoso, criado a freguesia de São Miguel e Almas, pertencente ao bispado de Mariana, sendo, então no mesmo lugar em que se achava a capela, construída a nova Matriz e nomeado em 1836 o primeiro vigário Padre Firmiano Alves de Oliveira e coadjutor padre Narciso Alves.

Em 1850 a descoberta da lavra aurífera das Almas, distante 3 km desta cidade e explorada pelos nacionais João Baptista de Oliveira, Francisco de Souza Coelho, Tenente Eusébio Nunes Coelho, Francisco Nunes Coelho e outros, concorreu para grande arregimento e desenvolvimento do Distrito e já se achando criado em 1872 o distrito de Nossa Senhora do Patrocínio, 1873 o de Capelinha de Nossa Senhora das Dores, em 1874 o de Baraúna, foi em 1875 o distrito de São Miguel elevado a Vila, incorporando-se-lhe os distritos até então criados, recebendo o mesmo município o nome de São Miguel de Guanhães, devido ao rio do mesmo nome que delimita as suas divisas com os municípios circunvizinhos. Criados, depois os Distritos de Divino, São João Baptista dos Farias e Travessão, cujas leis de criação pertencem ao arquivo da Câmara Municipal.

Em 1881 foi elevada a cidade constituindo o município os sete Distritos existentes, tendo por sede a cidade de Guanhães.